Já Assistimos: O Ritual (2017)

 


    Como uma homenagem ao seu falecido amigo, Luke, Dom, Hutch e Phil viajam para conhecer as florestas da Suécia. Mas o que parecia somente ser uma forma de realizar um desejo de um ente querido se torna um pesadelo por conta de uma presença que está à espreita em todo o local.

 

** ANÁLISE COM SPOILERS **

 

    O Ritual, ou The Ritual no original, é um filme que tinha tudo para ser melhor do que já é.

    As primeiras cenas, que na verdade são um sonho de Luke, interpretado por Rafe Spall, servem para nos mostrar como Rob, um dos amigos do grupo, morreu em um assalto em uma loja, onde estavam presentes ele e Luke, e deixar claro que o personagem de Spall se sente culpado pela morte (já que ele realmente não tentou nada para impedi-la) e carrega esse sentimento amargo desde então. Particularmente Amanda e eu gostamos dessa discussão no longa (se Luke pode ser visto como um “culpado” ou não pelo falecimento), mas o debate a respeito do tema fica só pela superfície e não é aprofundado, o que é algo que não curtimos.

    Os demais amigos do grupo viajam para florestas, na região de Kungsleden, ao norte na Suécia, pois esse era a sugestão que Rob tinha dado aos colegas momentos antes de falecer, quando os mesmos estavam decidindo o que fazer juntos na próxima viagem juntos.

    De início, eles planejavam fazer um “mini santuário” com uma foto de Rob e pedras como uma forma de lembrar alegremente do amigo e depois cruzariam a floresta até chegar em território com civilização.

    Não demora muito para que eles comecem a perceber que algo estranho está acontecendo (e ponha estranho nisso): símbolos marcados nas árvores, sons estranhos, um santuário bizarro numa casa abandonada que eles encontram. Sinto como se este filme fosse um primo distante de A Bruxa Blair, ou The Blair Witch Project no original.

    E como este é um filme sobre pessoas perdidas em algum lugar, era óbvio que aos poucos cada um deles começaria a sumir e o clima de horror e tensão só iria aumentar, mas o que ficava na dúvida era: o que está causando isso tudo?

    Pode ser aí o momento no qual o filme vai dividir opiniões, pois ao contrário de A Bruxa de Blair (que deixa os espectadores terem mais liberdade para terem suas próprias interpretações), O Ritual te mostra tudo o que está causando o horror vivido por Luke e os outros. Houveram coisas que me pareceram ter sido muito expositivas e que me deixaram menos imerso no filme.

    Como o próprio filme é muito expositivo, não há necessidade de eu ser mais aprofundado ainda nesta resenha. O que quero dizer é: O Ritual é um filme divertido de assistir pois no início te deixa tenso e instigado a descobrir os mistérios por trás da floresta, mas após certo ponto do filme tudo é tão mastigado que você não precisa mais pensar, mas sim se esforçar para ainda se manter dentro daquela história, já que no terceiro ato o filme tem uma mudança de tom perceptível, mesmo que não tão grande.



Plataforma onde assistimos: Google Filmes


Nota Cinema a Dois: Bom



Confira o trailer:






    Por aqui o filme foi aprovado pelo casal! E aí, já assistiu a O Ritual? 
Comenta aqui embaixo a sua opinião!

Comentários

Postagens mais visitadas