Já Assistimos: Sr. Ninguém (2009)

 



    O trem vai partir. Ir com sua mãe ou ficar com o seu pai? Uma infinidade de possibilidades surge dessa decisão. Contanto que ele não escolha, tudo é possível. Cada vida deve ser vivida.


** ANÁLISE COM SPOILERS **



    
Sr. Ninguém, ou Mr. Nobody no título original, lançado em 2009, é um filme de ficção científica que marca a estreia do cineasta Jaco Van Domael. Eu já havia assistido outras vezes (é um dos meus filmes preferidos) e foi a primeira vez que Petrus assistiu (estava bem curiosa pela opinião dele). 

    A trama se passa no ano de 2092 e gira em torno do último mortal vivo, Nemo Nobody, interpretado por Jared Leto. Ele está nos seus últimos dias de vida e é objeto de fascínio mundial, ao ponto que existe um programa sobre si e as pessoas podem votar em como será sua morte. Em uma entrevista, Nemo vai nos contando sobre as possíveis direções que sua vida poderia ter tido quando seus pais se divorciaram e ele precisou decidir entre ficar com o pai ou com a mãe. É nesse ponto que o público pode ficar confuso. Não fica muito claro se as situações que ele relata são realmente memórias ou se são invenções (nós preferimos acreditar que são memórias). É possível pensar até mesmo em viagem no tempo (uma possibilidade que Petrus levantou e eu nunca tinha considerado).

    Nós vamos acompanhando tudo que poderia ter acontecido com Nemo nos dois cenários apresentados e as possibilidades dentro deles: as mulheres que ele poderia ter se casado, as vidas que ele levaria, os filhos que ele teria. Nos deparamos com várias realidades e mundos, tudo isso intercalado com explicações sobre a Teoria das Cordas, Entropia, Efeito Borboleta e como elas impactam os infinitos caminhos que uma vida pode seguir (a nerd que habita em mim saúda o nerd que habita em você, caro leitor). A medida que o longa progride, a confusão inicial vai diminuindo, pois muitas coisas vão sendo esclarecidas (algo que Petrus criticou, pois ele prefere filmes com interpretação aberta). Mas do que o filme trata afinal? Na nossa interpretação: escolhas e como todas elas podem ser corretas.


    Jared Leto como de costume nos entrega uma boa atuação, nos fazendo torcer pelo casal Nemo e Anna, interpretada por Diane Kruger; ou nos fazendo ficar aflitos nas cenas em que ele precisa lidar com uma esposa problemática (frustração ou bipolaridade?). Os atores Toby Regbo e Juno Temple, que vivem os personagens nos seus 15 anos, também estão muito bem em suas interpretações. O filme é visualmente ambicioso (cada
frame é prazeroso de assistir) e foge do comum que vemos em Hollywood. 

    É difícil não ver Sr. Ninguém como um dos queridinhos da ficção científica, embora não seja muito conhecido, pois é o tipo de filme que vai proporcionar debates sobre seu significado, o simbolismo de tal cena, a importância de tal objeto. E na nossa visão, um filme de ficção científica com a proposta que Sr. Ninguém traz, pode se considerar bem feito quando causa esse efeito no público. O longa é um lembrete muito necessário que filmes podem sim ser audaciosos, ousados, desafiadores e bons ao mesmo tempo.


Plataforma onde assistimos: Google Filmes


Nota Cinema a Dois: Muito Bom 


Confira o trailer:




    Por aqui o filme foi aprovado pelo casal! E aí, já assistiu a Sr. Ninguém? 

    Comenta aqui embaixo a sua opinião!


Comentários

Postagens mais visitadas