Já Assistimos: Hereditário (2018)

    

    

    Após a morte da reclusa avó, a família Graham começa a desvendar algumas coisas a respeito de sua matriarca. O peso de sua morte permanece como se fosse uma sombra pairando acima deles, especialmente para a solitária neta adolescente, Charlie, por quem sua antepassada sempre manteve uma fascinação não usual. Com um crescente terror tomando conta da casa, a família explora lugares mais escuros para escapar do infeliz destino que herdaram.


** ANÁLISE SEM SPOILERS **


     Hereditário, ou Hereditary, no original, é um filme lançado em 2018 que foi escrito e dirigido por Ari Aster. Como especificado acima, não haverão spoilers pois não queremos estragar a experiência maravilhosa que é assistir a esse longa. Nos primeiros 90 minutos ficamos com a constante sensação de que algo perturbador está prestes a acontecer e nos 30 minutos finais, tudo fica frenético, te deixando ansioso para o que vem a seguir. Não é a toa que está entre os meus filmes favoritos do gênero. 

     Toni Collete está no papel de Annie Graham, uma mulher que está lidando com a morte da mãe. Peter, interpretado por Alex Wolff, é seu filho mais velho, um adolescente triste que está tentando se encontrar. Ele tem uma irmã mais nova, Charlie, vivida por Milly Shapiro, uma menina de 13 anos bem esquisita. Steve, papel de Gabriel Byrne, é marido e pai, tem o único desejo que a família seja feliz. Annie começa a frequentar um grupo de superação ao luto, que se reúnem no porão de uma igreja. Toda a trama começa a ganhar ritmo a partir daqui e é só isso que posso comentar. Qualquer coisa além já seria considerdo um spoiler. 

     Quando Petrus e eu fomos assistir a esse filme, não sabíamos do que se tratava, e o resultado é que fomos surpreendidos positivamente. Hereditário é o trabalho de estreia de Aster e sua direção é muito precisa em deixar o espectador aflito (pelo menos eu, Amanda, fiquei), através do zoom-in em objetos cortantes ou pontiagudos, uso de escalas, tamanhos, sons e perspectivas. A paleta de cores frias também contribui bastante para que o clima seja ainda mais sombrio. A atuação do elenco é muito sólida, tornando todos os eventos principais ainda mais chocantes. 

    A atuação de Collete é o ponto alto do filme. Sua personagem é bem complexa, as vezes repulsiva, as vezes deprimida. E me arrisco a dizer que só funciona porque a atriz tem a capacidade de "vender" suas emoções para o público. Por diversas vezes me senti emocionalmente cansada com suas cenas, de tão intensa que foi sua atuação. 


    Talvez algo que possa ser considerado como um ponto negativo para algumas pessoas (nós não achamos isso) é que leva tempo para você entender o que está acontecendo. A construção não é apressada e é apenas no final que tudo faz sentido.

     Hereditário é um filme de horror psicológico e sobrenatural, que tem como ênfase a família e em como as pessoas lidam com seus danos emocionais. Uma produção que vai além do jump scare (momentos de susto), e assim como títulos mais recentes, mostra que o universo dos longas de horror pode se reinventar.



Plataforma onde assistimos: Cinema


Nota Cinema a Dois: Excelente.


Confira o trailer:





    Por aqui o filme agradou o casal! E aí, já assistiu a Hereditário? Conta aqui embaixo a sua opinião!

Comentários

Postagens mais visitadas