Já Assistimos: The Last: Naruto - O Filme (2014)



    O último filme de um dos maiores animes de todos os tempos. Neste lindo longa veremos o crescimento e amadurecimento emocional de Naruto e como ele se conectou aos sentimentos de sua futura esposa, Hinata.



** ANÁLISE COM SPOILERS **



    The Last: Naruto - O Filme, ou The Last: Naruto - The Movie no original, é o último longa-metragem baseado na franquia de mangá, animes, jogos, livros, etc, Naruto que foi criada por Masashi Kishimoto em 1999.

    Após 15 anos de lançamentos semanais de capítulos do mangá, a história do ninja laranja tinha chegado ao fim, mas restou uma dúvida entre os fãs: como que Naruto Uzumaki e Hinata Hyuuga acabaram juntos? Já que entre os últimos dois capítulos da obra, tivemos um salto temporal de vários anos e se antes o casal parecia que não ia para frente, no final eles já estavam casados e com dois filhos: Boruto e Himawari.

    Para todos que já assistiram ao anime ou leram o mangá, é sabido que a personagem do clã Hyuuga sempre admirou e amou o nosso querido ninja número 1, hiperativo e cabeça oca, mas ela nunca admitiu seus sentimentos por ele de uma forma que ele pudesse compreendê-los, até porque, como vemos em The Last, por nunca ter tido mãe, pai ou alguém que ensinasse-o sobre o que é amor, Naruto não sabia como entender esse sentimento. Motivo pelo qual ele nunca tinha percebido o quanto Hinata o amava ou que ele próprio a amava.

    Enquanto o roteiro do filme foca veementemente em desenvolver o casal (coisa que faz de forma excepcional), ele também nos apresenta um novo vilão após alguns anos de paz no mundo shinobi (palavra sinônima para "ninja"): Toneri Ootsutsuki, o único sobrevivente dentre os descendentes de Hamura Ootsutsuki (se você não assistiu a Naruto Shippuden ou leu ao mangá, prepare-se para boiar na explicação vinda de um fã assíduo dessa história - que por sinal é meu mangá/anime favorito).

    Como Amanda já tinha mencionado na resenha para Boruto: The Movie, fui eu, Petrus, que apresentei essa obra a ela, que hoje em dia consideramos como algo "nosso" como casal, então eu não podia deixar que ela não tivesse a ótima experiência de ver um lado mais romântico dentro da narrativa de Naruto que é repleta de mensagens sobre confiar em si mesmo, valorizar seus amigos, família e também de nunca desistir de realizar seus sonhos. Mensagens estas que para algumas pessoas podem ser batidas e bobas, mas que nós dois olhamos com muito carinho e achamos incrível a forma como o Japão consegue passar tantos valores importantes através de histórias fantásticas e fantasiosas para suas crianças (algo próximo assim que temos no ocidente seria a saga Harry Potter que fala sobre o amor entre pais e filhos e a importância das amizades).

    Após Hanabi Hyuuga, irmã de Hinata, ser sequestrada por Toneri e ser levada para Lua que está prestes a se colidir com a Terra (pelos planos do Ootsutsuki), Naruto, Hinata, Sakura, Shikamaru e Sai partem em uma missão para impedir a catástrofe iminente e é nessa viagem onde temos tantas cenas tão bem dirigidas e que tocam os corações dos espectadores (nunca a expressão "malditos ninjas cortadores de cebola" fez tanto sentido para mim).

    Passando tempo juntos e relembrando sobre todos os momentos que tiveram um com o outro, a dupla principal deste filme vai ficando cada vez mais unida até que chegamos ao momento em que (finalmente) Naruto se dá conta dos seus sentimentos para com a princesa do Byakugan (de novo você que não leu ou assistiu está boiando, né?).



    Temos sequências de lutas espetaculares, novos poderes sendo apresentados, a união do casal que todos os fãs mais queriam ver... Enfim, temos muitas coisas boas aqui.

    Não seria uma resenha completa se eu não dissesse que Amanda chorou durante o filme (isso porque ela tinha dito, enquanto assistíamos, que não ia chorar), mas não posso julgá-la porque, por mais que eu não tenha derramado lágrimas, me emocionei bastante e torci pelos dois durante o filme todo. Essa é uma das coisas que mais gosto na história de Masashi Kishimoto: ela te faz se importar com os personagens e querer o melhor para eles, a um ponto em que às vezes esquecemos que não são pessoas reais.

    Após derrotarem Toneri, impedirem a colisão da Lua na Terra e voltarem para a sua vila, tudo está bem e, assim que o filme acaba, temos uma sequência de lindas imagens do casamento do nosso ninja cabeça oca com a princesa do clã Hyuuga enquanto os créditos rolam. Até que, numa cena pós-créditos, temos um vislumbre do que é a vida em família na casa dos Uzumaki (Hinata adotou o nome do marido). Enquanto Boruto e Himawari correm em direção ao pai para brincarem, a mãe está tricotando o cachecol vermelho (metáfora para o "Fio Vermelho do Destino" que faz parte da cultura japonesa) que é elemento essencial no The Last. Durante todo o longa-metragem, ela queria dar esse cachecol vermelho para o Naruto (que ele deu para ela quando se conheceram. Momento em que ele a salvou de se machucar por conta de algumas crianças que estavam cometendo bullying para com a nossa, então, pequena Hinatinha - mesmo que nosso ninja laranja tenha levado uma surra no processo).

    O Filme termina com uma sensação de sonho realizado e final feliz e era exatamente isso que nossos personagens tão queridos mereciam: a paz de uma vida feliz juntos.



Plataforma onde assistimos: Google Filmes


Nota Cinema a Dois: Muito Bom


Confira o trailer:





    Por aqui assistimos e aprovamos o filme! E você, já assistiu a The Last: Naruto - O Filme? Comenta aqui embaixo a sua opinião!

Comentários

Postagens mais visitadas