Já Assistimos: Kung Pow - O Mestre da Kung-Fu-São (2002)

 


    Em uma narrativa repleta de bizarrices e humor duvidoso, acompanharemos a história do Escolhido que partiu em uma jornada para vingar a morte de seus pais pelas mãos do líder do Conselho do Mal. Pelo caminho ele encontrará e fará aliados e adversários mais bizarros ainda.



** ANÁLISE COM SPOILERS **



    Kung Pow - O Mestre da Kung-Fu-São ou Kung Pow - Enter The Fist (é melhor nem explicar o trocadilho), no título original, é um filme de comédia e fantasia que explora o conceito de artes marciais. O diretor, roteirista e também ator principal, Steve Oedekerk, adquiriu os direitos da produção asiática Tigre Indomável de 1976, pois teve a ideia de contar uma diferente história usando as cenas desse projeto e se inserir digitalmente no longa através de chroma key (sobreposição de uma imagem em outra). Além disso, ele redublou todos os personagens do elenco original, e como resultado conseguiu criar um besteirol único.

   Esse é o tipo de filme que você, caro leitor, não deve levar a sério porque ele não foi feito com essa intenção. Não é um longa com camadas que vai te fazer pensar ou refletir sobre a sua vida. O propósito é justamente nos fazer dar boas risadas. Petrus ama essa história e para ele está na categoria de "filmes que levaria para uma ilha deserta".

    A fórmula aqui é bem padrão: um heroi que luta artes marciais procura ensinamentos com um mentor que tem a figura de um velho sábio, um vilão e líder do Conselho do Mal que parece ser impossível de derrotarBetty (melhor nome possível) e uma moça que é o interesse amoroso do personagem principal. Oedekerk, no longa recebe a alcunha de O Escolhido, pois carrega consigo uma marca especial: uma língua com olhos e boca. Ele parte em uma jornada para derrotar Betty, como forma de vingar sua família que foi morta pelo vilão, conhece um novo mestre que o treina até que finalmente chega o momento de enfrentar seu inimigo de uma vez por todas.


    O longa tem momentos e personagens muito divertidos, como a luta contra a vaca lutadora (uma paródia de Matrix que viralizou na época através de envios de e-mails já que não existia Youtube), uma alienígena/fada/sei-lá-o-que que tem apenas um seio, as cenas com o vilão Betty, são várias as situações em que você vai rir dos absurdos saídos da mente de Oedekerk.  

  Recomendo fortemente que você assista Kung Pow focando única e exclusivamente na diversão. A história, como eu disse anteriormente, não vai oferecer camadas reflexivas. É um besteirol totalmente nonsense. A crítica especializada não deu notas boas para essa produção, muito possivelmente por não ter visto o longa pelo que ele é (assim como acontece com outros projetos) mas acredito que se você estiver a fim de assistir algo simples e engraçado, você possivelmente vai gostar de Kung Pow.


Plataforma onde assistimos: Google Filmes


Nota Cinema a Dois: Muito Bom


Confira o trailer:



Por aqui o filme nos fez rir bastante! E aí, já assistiu a 
Kung Pow - O Mestre da Kung-Fu-São? Conta aqui embaixo a sua opinião!

Comentários

Postagens mais visitadas